Arquivo da categoria: Qualidade de Serviço (QoS)

O que é QoS?

QoS – Quality of Service, ou em português “Qualidade de Serviço”, é um método para fornecimento consistente e previsível na distribuição de dados satisfazendo os requisitos pré-estabelecidos do cliente (SLA) para determinados parâmetros (reliability – confiabilidade, delay – retardo, atraso ou latência, Jitter – flutuação ou variação de latência (atraso) que causa pacotes fora da ordem, vazão – largura de banda, etc.). Reduzindo problemas causados por Bursts periódicos (picos de uso) protegendo aplicações sensíveis (tráfego não-elástico, Ex.: VoIP), priorizando a entrega de pacotes (classes de serviço), sem desativar aplicações de prioridade mais baixa.

Modelos de Implementação: IntServ (Serviços Integrados, orientado a fluxo; utiliza o protocolo RSVP) e o DiffServ (Serviços Reservados ou Diferenciados; permite a criação de classes de serviços; indicado para grandes redes).

Temos ainda os protocolos SBM (sinalização), LDP (Sinalização em redes MPLS), RTSP (sinalização). Após criada a conexão e negociação de parâmetros (sinalização) utiliza-se o RTP (transporte de dados), e o RTCP (monitoramento e controle do RTP).

Modelo OSI: Camada de Transporte.

O que é Tráfego não-Elástico?

Tráfego não-elástico é o tipo de tráfego que não se adapta facilmente a mudanças de atraso (delay) e taxa de transferência (throughput). Por exemplo: comunicação em tempo real, como voz e vídeo – Se o ocorrer uma deterioração dos requisitos informados ocorrerá uma perda de qualidade podendo tornar a comunicação incompreensível. Os requisitos para o tráfego não elástico podem incluir: taxa de transferência mínima, taxa de sensibilidade ao atraso, suporte a um limite alto de variação de atraso, suporte a altas taxas de pacotes perdidos.

Ao contrário do tráfego não elástico, existe o Tráfego elástico.

O que é Tráfego Elástico?

Tráfego Elástico é o tipo de tráfego de rede cujo aplicação pode se ajustar a grandes mudanças de atraso (delay) e taxa de transferência (throughput). Exemplo: transferência de arquivos, envio e recebimento de e-mail eletrônico, logon remoto, gerenciamento de rede, e acesso web.

Nos exemplos citados a cima, caso ocorra uma mudança de atraso ou de taxa de transferência a transferência poderá demorar mais, contudo o arquivo será transferido corretamente, por isso dizemos que a aplicação se ajusta.